segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

AS LOIRAS DE HITCHCOCK
Sem programa para as noites chuvosas? Que tal assistir aos filmes de Alfred Hitchcock? Mesmo quem conhece a obra do diretor inglês radicado nos Estados Unidos não ficará entediado e até se surpreenderá porque a qualidade é muito superior ao que se exibe, atualmente, por aí como ótimo. Depois há ainda a possibilidade de descobri-lo em meio ao filme ou de apreciar as loiras que estrelavam seus filmes: Grace Kelly, Ingrid Bergman; Kim Novak; Marlene Dietrich, Doris Day, Julie Andrews e Tippi Hedren entre tantas outras.  
       Difícil escolher por onde começar a organizar um festival Hitchcock (1889-1990) caseiro. Uma boa solução para a seleção seria a ordem cronológica das principais produções norte-americanas. Em 1940 ele dirigiu “Rebeca, a mulher inesquecível”, com Laurence Olivier, Joan Fontaine e George Sanders. Uniu-se ao esforço de guerra e produziu “O Sabotador” em 1941 e “Um barco e nove destinos” em 1944. Divertido assistir a “Notorious” (1946) que se passa em uma caricatura do Rio de Janeiro (diga-se Brasil) e tem como protagonistas Cary Grant e Ingrid Bergman. Em 1948 lançou “Festim diabólico”, primeiro filme colorido de Hitchcock. Ator principal: James Stewart.
          A década de 1950 começa com um clássico a que diretores atuais não resistem: “Pacto Sinistro” com Robert Walker, Farley Granger e Ruth Roman. Não há refilmagem que o supere. Em “O homem que sabia demais” (1956), James Stewart está de volta com Doris Day, que canta “O que será, será” na tentativa de localizar o filho sequestrado. Em 1958, ele estrelou “Um corpo que cai” (1958). A loira da vez foi Kim Novak. Perfeito (apesar da cena em que ela é resgatada da água com os sapatos calçados!).
          As obras seguintes são: “Intriga Internacional” (1959) – Cary Grant, Eva Marie Saint e James Mason; “Psicose” (1960) – Antony Perkins e Janet Leigh; “Os Pássaros“ (1963) – Rod Taylor e Jessica Tandy; “Marnie, Confissões de uma ladra” (1954) – Sean Connery e Tippi Hedren: “Cortina Rasgada” (1966) – Paul Newman e Julie Andrews.
Estes são os principais filmes do mestre do suspense, mas há muito mais. O Netflix tem vários à disposição dos assinantes.

Grant e Bergman em cena de "Notorius".