terça-feira, 5 de janeiro de 2016

SÃO PAULO
JOVEM BOEMIA - Na segunda metade do século XIX, o segundo Barão de Piracicaba, Rafael Tobias de Aguiar (1830-1897), e Antonio Pinto de Rego Freitas (1835-1886) doaram a área para a construção de um hospital em uma região ainda rural. As obras estenderam-se e quando se concluiu o prédio em estilo gótico ali se instalou a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo fundada, provavelmente, em 1560. (A Santa Casa de Santos data de 1534.) A Santa Casa é considerada hoje, o maior hospital filantrópico da América Latina e atende cerca de oito mil pessoas diariamente em todas as especialidades médicas de acordo com o site da instituição.
Em 1877, Dona Veridiana Prado, que morava em um palacete na Rua da Consolação, separou-se do marido Martinho da Silva Prado, foi passar uma temporada na Europa de onde voltou com o projeto de um palacete assinado pelo engenheiro Luis Liberal Pinto. O local escolhido para a nova residência foi a Rua da Santa Casa (atualmente Dona Veridiana com Avenida Higienópolis) e de sua varanda conta-se que era possível ver o bairro de Santa Cecília. O palacete em estilo eclético tem 3.500 m² e cinco mil metros quadrados de jardins. Ali Dona Veridiana recebeu ilustres personalidades brasileiras e estrangeiras – Capistrano de Abreu, Ramalho Ortigão, Oscar Pereira da Silva, José do Patrocínio, Luis Gama, a princesa Isabel e D. Pedro II em sua ultima visita a São Paulo.
Em 1959 a casa foi comprada por um grupo de empresários para instalar o São Paulo Clube – clube exclusivo, conhecido também como “clube dos banqueiros” por ser a profissão de boa parte dos sócios. A entidade fechou suas portas em 2008, quando o casarão, tombado pelo CONDEPHAAT desde 2001, foi adquirido pelo Iate Clube de Santos.  Curiosamente, o ICS foi fundado na mesma casa em 1947 pelo bisneto de Dona Veridiana, empresário Jorge da Silva Prado.
Quando Rego Freitas morreu, a chácara de propriedade dele foi vendida para a empresa de urbanismo cujos sócios eram o Senador Rodolfo Miranda e o engenheiro Manuel Buarque de Macedo – de onde provem o nome do novo bairro.   
          A Vila Buarque é um bairro de artistas, intelectuais, boêmios e estudantes. Lá estão a Universidade Presbiteriana Mackenzie, o Centro Universitário Maria Antonia – antiga sede da Faculdade de Filosofia da USP, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa, a Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Há vários teatros – como o Eugenio Kusnet – onde funcionou o histórico Teatro de Arena –, SESC, Aliança Francesa e o Paiol Cultural; Biblioteca Municipal Monteiro Lobato e Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo. Livrarias, inclusive a Martins Fontes.
          Com tantos estudantes no bairro, durante o ano letivo, os finais de tarde na Vila Buarque podem ser surpreendentes: muita cerveja nas mesas que escorregam dos barzinhos e música que se espalha pela vizinhança. 
O verde abriga o antigo casarão de intrusos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário