terça-feira, 15 de março de 2016

Que zica*! .

Nos velhos tempos, “zica” era uma gíria para azar e fazia tempo que não ouvia a expressão até que, recentemente, virou praga. Nem o dicionário do Houaiss registra a palavra – não sei de por superstição ou por não aceitar gíria em suas elegantes páginas. A verdade é que só se fala em zica: nos cuidados para evitar o mal e as estratégias para combater o mosquito transmissor. Esse é o papel dos meios de comunicação; entretanto, parece que não funciona muito bem. Há algum tempo venho observando a esquina da Rua Domingos de Morais com Rua Rodrigues Alves, na Vila Mariana, onde o lixo fica amontoado 24 horas. A coleta é feita, mas logo em seguida o local é “reabastecido” por comerciantes e ambulantes e os pedestres acabam colaborando com a irregularidade porque “uma coisa leva a outra”. Já perguntei e soube que o recolhimento é feito pela manhã, mas o lixão brota em seguida. O comércio local já deveria ter pedido à Subprefeitura um container ou colocar o lixo apenas no horário determinado. O “depósito” fica em frente de uma farmácia, a alguns passos de um ponto de ônibus e junto a uma faixa de pedestres. A Subprefeitura faz a sua parte, mas o mau cidadão não colabora em nada. Haja mosquitos de todas as espécies, moscas, ratos, enchentes etc. Lamentável.

*Escreverei sempre com C.

As fotos foram tiradas em dezembro de 2015, janeiro e fevereiro de 2016.



Nenhum comentário:

Postar um comentário