quarta-feira, 20 de abril de 2016

PARQUE DA JUVENTUDE
Que tal visitar um belo parque de 240 mil m² que fica do lado de uma estação do metrô, dispõe de áreas de esporte e lazer, além de uma biblioteca com 35 mil títulos? Se preferir ir de carro, não se preocupe porque há estacionamento. O Parque da Juventude, situado na Zona Norte de São Paulo, é o lugar ideal para momentos de tranquilidade à sombra de árvores frondosas, que proporcionam um agradável frescor nessas tardes quentes de outono. Há espaço até para os cães de estimação. O córrego Carandiru atravessa a área no seu caminho para o Rio Tietê dando um toque bucólico ao lugar, apesar do cheiro bem desagradável.
O Parque da Juventude foi inaugurado em 2003 na área em que se erguia a Casa de Detenção de São Paulo, palco do massacre 111 detentos pela Polícia Militar em 2 de outubro de 1992. Foi demolida parcialmente em 2002 pelo Governo do Estado de São Paulo, que em seguida abriu concurso público para a implantação de um parque. O projeto vencedor deixou alguns referenciais da época da Detenção: parte da muralha, ruínas das celas; a oficina de trabalhos manuais foi transformada em ginásio que abriga uma academia. Os pavilhões 4 e 7 foram reformados e abrigam duas Escolas Técnicas (ETECs).
No espaço das Escolas Técnicas, encontra-se também o Acessa São Paulo, programa de inclusão digital do Governo do Estado, onde o público tem acesso gratuito às novas tecnologias da informação e comunicação. Um pouco mais adiante está o prédio da Biblioteca de São Paulo.
O Parque da Juventude já ganhou duas esculturas. A “Espheropeia” é uma instalação do artista plástico Gilberto Salvador, feita em fibra de carbono, com 5 m de largura x 8 m de comprimento; a outra, que é do italiano Domenico Calabrone, tem 6 m de altura, foi feita em bronze e chama-se “Um sonho de liberdade”.

         O Parque da Juventude é administrado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, por intermédio da Coordenadoria de Parques Urbanos. A entrada ao lado da Estação Carandiru do metrô é na Avenida Cruzeiro do Sul, 2630. A entrada do estacionamento é pela Avenida Zaki Narchi, 1309. 
O metrô a caminho do Tucuruvi.

Espheropeia”, de Gilberto Salvador.

Córrego Carandiru