sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

NASCE O PARQUE

O movimento ambientalista dava os primeiros passos quando o governo paulista criou o Parque Estadual de Ilhabela (Decreto nº 9.414, 20-01-1977), que abrange o arquipélago de São Sebastião, formado por lajes e 12 ilhas entre as quais se destacam quatro: São Sebastião (sede do município de Ilhabela), Vitória, Búzios e dos Pescadores. Esta unidade de conservação administrada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, através da Fundação Florestal, tem 27.025 hectares.
Na Ilha de São Sebastião, pode-se observar a beleza e exuberância da Mata Atlântica e imaginar o que teria sido a região há 500 anos, quando os europeus chegaram por aqui. Uma floresta densa, com árvores de 20 a 30 metros de altura, abrigando bromélias, caraguatás e orquídeas; montanhas com picos de até 1.300 m revestidas de mata; rios, riachos e córregos que formam cerca de 300 cachoeiras e alimentam os manguezais.
Ali, a fauna rica e diversificada dá mais vida ao colorido da natureza onde vivem caxinguelê, macaco-prego e jaguatirica (estes dois ameaçados de extinção); tucano, maritaca, tiê-sangue, macuco, gavião-pega-macaco, apuim-das-costas-amarelas, jacu e jacutinga. Há ainda o cururuá, tipo de rato peludo que só se encontra na restinga de Ilhabela. O arquipélago também é importante para as espécies migratórias de pequena, média e longa distância que fazem pouso na região.
Depois de um longo período de esquecimento – até porque a ilha está situada a 18 km da costa e o único acesso a ela é por balsas –, a situação mudou em meados do século passado, com a construção da rodovia dos Tamoios (SP-99), ligando a Capital e o Vale do Paraíba ao Litoral Norte. Na década de 1970, com a abertura da Rodovia Rio-Santos (BR-101) e a criação do Parque Estadual de Ilhabela, o setor turístico cresceu mais e o interesse pela ilha aumentou.
Em 1994, o governo federal autorizou a realização de cruzeiros marítimos na costa brasileira e Ilhabela estava entre as escalas oferecidas. O município se organizou e investiu em turismo receptivo. Atualmente, o município tem outro titulo importante: capital da vela. Há pelo menos duas grandes competições anuais que terminam lá.
Ilhabela preserva a riqueza da cultura caiçara que se manifesta em sua arquitetura, no artesanato, nas embarcações e em festas, como a Congada de São Sebastião e outras manifestações folclóricas animadas pela a "cirandinha" e "quebra - chiquinha". Afinal, ali vivem cerca de 20 comunidades tradicionais de pescadores e artesãos.
O município tem 347 km² – 85% dos quais fazem parte do Parque – e 32.782 habitantes (IBGE/2016). Depois de conhecer a cidade, inclusive o acervo arqueológico do arquipélago em exposição no Instituto Histórico, o visitante deve ir ao Parque para percorrer a trilha da Água Branca, com 2.145m de extensão de dificuldade média. Atrativos não faltam: flora da Mata Atlântica (pau-jacaré, guapuruvu, manacá-da-serra e quaresmeira) e fauna (aves como tangará, o trinca-ferro, a araponga e o pica-pau). Cachoeiras e piscinas naturais são outro encanto do parque. Basta escolher entre os Poços da Pedra, da Escada e do Jabuti.
Quando cansar, basta escolher uma das 40 praias para tomar sol e banho de mar. Sem esquecer que o bom turista leva apenas fotos e lembranças, deixando para traz somente as pegadas...


SERVIÇOS: O Centro de Visitantes do Parque Estadual de Ilhabela funciona de segunda à sexta-feira das 8 às 17 horas. Informações sobre os horários em fins de semana e feriados podem ser obtidas pelo telefone 12-3896-2585/1646. (Facilitaria muito para turistas se definissem esses horários e divulgassem, evitando desgaste de telefonemas, esperas etc.). O endereço é Praça Coronel Julião de Moura Negrão, n°115. O acesso à Ilhabela é por balsas que saem de São Sebastião. A passagem de automóveis e camionetes custa R$ 17,80 (dias úteis) e R$ 26,70 (sábados, domingos e feriados); motos e similares, R$ 8,90 (dias úteis) e R$ 13,40 (sábados, domingos e feriados). A duração média da travessia é de 15 minutos. A DERSA dispõe de serviço com hora marcada a preços diferenciados.