terça-feira, 20 de dezembro de 2016

UM QUADRO PROIBIDO
O pintor norte-americano Paul Cadmus (1904-1999) é um dos criadores do realismo fantástico e sua obra caracteriza-se pelo teor homoerótico. Ele é o autor de The fleet’s in!, uma pintura (óleo sobre tela) de 1934, que retrata um grupo de marinheiros de licença, se divertindo provavelmente em Riverside Park. Se hoje parece apenas divertido, na época foi um escândalo. Tudo bastante descontraído. As mulheres usam roupas reveladoras e os traseiros têm um destaque especial, sem conta um toque homossexual que enraiveceu muita gente. Como, por exemplo, o Almirante Hugh Rodman (1859-1940), que não poupou críticas à obra e a denunciou aos superiores.
O assistente do Secretário da Marinha, Henry L. Roosevelt, achou melhor recolher a obra da exposição na Galeria de Arte Corcoran de Washington, que fazia parte do programa de arte do governo americano (New Deal). Henry Roosevelt, entretanto, não viu nenhum problema em levar o quadro para casa e exibir para os amigos. A censura (como sempre) funcionou de forma inversa. O quadro ganhou grande notoriedade. “Para cada indivíduo que talvez tivesse visto o original na Corcoran, ao menos mil o viram em reproduções em preto e branco” – afirmou o historiador de arte Richard Meyer.

Em 1937, pouco antes de morrer, Henry L. Roosevelt transferiu a obra para um famoso clube masculino de Washington, o Alibi Club, que o manteve no acervo por 44 anos até que a Marinha reivindicou a posse do quadro, iniciando um processo legal. 
O quadro encontra-se em exposição na Galeria de Arte da Marinha desde 1994