quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

SANTOS, 471 ANOS.

Santos, ainda muito jovem, mas com um passado e tanto. Homenagem carinhosa à minha cidade com “Palavras ao mar” (trecho) de Vicente de Carvalho (1866-1924).
  
Palavras ao mar

“Mar, belo mar selvagem
Das nossas praias solitárias! Tigre
A que as brisas da terra o sono embalam,
A que o vento do largo eriça o pêlo!

Junto da espuma com que as praias bordas,
Pelo marulho acalentada, à sombra
Das palmeiras que arfando se debruçam
Na beirada das ondas - a minha alma
Abriu-se para a vida como se abre
A flor da murta para o sol do estio.

Quando eu nasci, raiava
O claro mês das garças forasteiras:
Abril, sorrindo em flor pelos outeiros,
Nadando em luz na oscilação das ondas,
Desenrolava a primavera de ouro;
E as leves garças, como olhas soltas
Num leve sopro de aura dispersadas,
Vinham do azul do céu turbilhonando
Pousar o voo à tona das espumas...”




Nenhum comentário:

Postar um comentário