quarta-feira, 22 de março de 2017

DIA MUNDIAL DA ÁGUA
(22 de março)


A cidade é passada pelo rio
como uma rua
é passada por um cachorro;
uma fruta
por uma espada.

O rio ora lembrava
a língua mansa de um cão,
ora o ventre triste de um cão,
ora o outro rio
de aquoso pano sujo
dos olhos de um cão.

Aquele rio
era como um cão sem plumas.
Nada sabia da chuva azul,
da fonte cor-de-rosa,
da água do copo de água,
da água de cântaro,
dos peixes de água,
da brisa na água. 
[...]

Do poema “Cão sem plumas”, de João Cabral de Melo Neto (1920-1999).

Giovanni B. Castagneto: Paisagem com rio e barco ao seco em São Paulo 
‘Ponte Grande’, 1895; óleo sobre madeira, acervo do MASP. 

Benedito Calixto. “Inundação da Várzea do Carmo”,
1892, óleo sobre tela de Museu Paulista da USP.