terça-feira, 1 de agosto de 2017

          PASSEIOS PAULISTANOS

Segunda-feira, dia reservado para uma visita à Dona Maria Marcolina Monteiro de Barros, uma senhora de tradicional família paulistana que se tornou uma referência popular quando a rua que a homenageia se tornou centro comercial importante da Subprefeitura da Mooca, composta pelos distritos do Belém, Brás, Mooca, Pari e Tatuapé. A denominação da rua aconteceu há mais de cem anos. Compras boas e baratas, dizem, acontecem na Rua Maria Marcolina.
          Entre uma espiada e outra em vitrines que se repetem, desperta a curiosidade dos menos interessados em gastança, o Cavalheiro que emprestou seu nome a outra rua. Trata-se de Joaquim Carlos Augusto Cavalheiro, que foi um empreiteiro de obras, segundo o lacônico portal da Prefeitura de São Paulo, e que por esse e outros motivos teve seu nome dado ao logradouro também em 1916.  
          Foi na Mooca que Rafael Paes de Barros, filho do Barão de Itu e neto do Barão de Iguape, construiu o Clube Paulista de Corridas de Cavalo, primeiro hipódromo da cidade, inaugurado em 1876 em pleno Império. Em 25 de janeiro de 1941, o clube cedeu lugar ao Hipódromo Paulistano em Cidade Jardim, às margens do rio Pinheiros. Daqueles tempos restaram apenas os prédios onde funcionavam as cocheiras e a Rua Hipódromo cujo nome foi oficializado em 1916.
          A Mooca, entretanto é muito mais que um centro de compras. Foi reduto dos imigrantes italianos, que atraíram outras colônias para lá; tornou-se um polo industrial e cultural – lá funcionaram os Cines Teatro Moderno, Santo Antônio, Aliança, Imperial, o Icaraí (Ouro Verde) e o Patriarca. Em 1924 o conde Rodolfo Crespi (1874-1939), dono do cotonifício Crespi, fundou um clube de futebol para os funcionários da fábrica: o Cotonifício Rodolfo Crespi Futebol Clube, que originou o Clube Atlético Juventus (Rua Javari, 117).
          Outra instituição do bairro foi a Companhia Antártica Paulista (AMBEV), que foi criada no final do século XIX, cuja sede na Avenida Presidente Wilson, 307 foi construída no início do século passado.
          Na Mooca foi construída a Hospedaria dos Imigrantes em 1897, local de recepção dos imigrantes recém-chegados, que funcionou até 1978, quando teve as atividades encerradas. Atualmente, abriga o Museu da Imigração do Estado de São Paulo (Rua Visconde de Paranaíba, 1316).

          Enfim, a Mooca é um mundo (não só de compras) a se descobrir. 
(Fotos:HPA.)