terça-feira, 5 de abril de 2016

Júlio Prestes
O Arquivo Público do Estado de São Paulo abre hoje (5/4) a exposição "Júlio Prestes, o último presidente da República Velha: arquivo privado de um homem público". A programação inclui um seminário que ocorre no auditório da instituição a partir das 9h30, com uma série de palestras durante todo o dia. Historiadores, arquivistas e especialistas da área de preservação apresentam estudos e suas experiências no trabalho de pesquisa e preservação de arquivos privados. 
Júlio Prestes iniciou sua carreira política em 1909, como deputado estadual em São Paulo. Assumiu o governo do Estado de São Paulo em 1927 e, indicado por Washington Luís, candidatou-se e venceu as eleições à presidência da República em 1930. No entanto, não assumiu o cargo – foi o único presidente eleito pelo voto popular a ser impedido de tomar posse. O motivo foi a Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder. Exilado na Europa, Júlio Prestes regressou ao Brasil em 1934, com a constitucionalização do país. Voltou à cena política somente em 1945. Morreu em São Paulo, em 1946, aos 63 anos.
A mostra proporciona aos visitantes a oportunidade de conhecer a diversidade de acervo privado de Júlio Prestes de Albuquerque, doado ao APESP por familiares do político em 1981. Além de documentos oficiais, que dão uma visão do cotidiano da administração pública de São Paulo entre os anos de 1916 e 1943, a exposição apresenta fotografias e objetos de recordações como pedidos encaminhados a Júlio Prestes pela população, discursos, poemas escritos pelo político e até um manifesto sobre a importância do voto feminino.
Júlio Prestes iniciou sua carreira política em 1909, como deputado estadual em São Paulo. Assumiu o governo do Estado de São Paulo em 1927 e, indicado por Washington Luís, candidatou-se e venceu as eleições à presidência da República em 1930. No entanto, não assumiu o cargo - foi o único presidente eleito pelo voto popular a ser impedido de tomar posse pela Revolução de 1930, que colocou Getúlio Vargas ao poder. Exilado, Júlio Prestes regressou ao Brasil em 1934, com a reconstitucionalização do país. Voltou à cena política somente em 1945. Morreu em São Paulo, em 1946, aos 63 anos.

 Arquivo Público do Estado de São Paulo: Rua Voluntários da Pátria, 596 – ao lado da estação Tietê do Metrô. Entrada gratuita.