sexta-feira, 4 de novembro de 2016

NOVEMBRO COM ARTE


Iluminura de Novembro. 

As riquíssimas horas do duque de Berry (Les Très Riches Heures du duc de Berry, 1415) é o mais importante livro de horas ou breviário do século XV. Foi encomendado a Pol de Limbourg e seus dois irmãos para presentear o duque de Berry, Jean de Valois (1340-1416), irmão do rei Carlos V da França. O livro reúne as orações das horas da Virgem, do Espírito Santo, da Cruz e dos mortos e contém o calendário de festas e dos santos. A obra tem 512 páginas e quase a metade constitui-se de páginas inteiras de miniaturas, destacando-se o calendário como a parte mais admirável do livro, que pertence à fase mais avançada do chamado estilo internacional.
No calendário, tradicionalmente, eram representadas as atividades características de cada mês, mas os irmãos Limbourg retrataram a vida do homem junto à natureza, colocando em cada ilustração o hemisfério apropriado à época, os signos e graus do zodíaco. Algumas vezes são mostrados o castelo do duque ao fundo e outras propriedades reais.

A iluminura de Fevereiro é a mais antiga paisagem de neve em toda a história da arte ocidental. Janeiro é ilustrado com um banquete de Ano Novo, em que o duque aparece de túnica azul; Março – semeadura do campo; Abril – um casal troca alianças; Maio – nobres a cavalo; Junho – a colheita; Julho – tosquia das ovelhas; Agosto – nobres com falcões; Setembro – colheita das uvas; Outubro – cultivo dos campos; Novembro – um servo alimenta os porcos; e Dezembro – a caça de um javali. O breviário encontra-se no Museu Condé, de Chantilly, na França.  


Iluminura relativa a Fevereiro, 1415.

Abril, talvez a iluminura mais conhecida.