quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

ÁRVORES, MÚSICA E CARTÕES.
A origem das lendas e tradições tem sempre várias versoes e cada um acredita na que achar melhor. Se o presépio foi criação de São Francisco de Assis no século XIII, as árvores de Natal teriam sido ideia de Martinho Lutero (1483-1546) que, em 1530, se encantou com a paisagem de uma noite de inverno em que os pinheiros cobertos de neve pareciam iluminados pelas estrelas. Ao chegar em casa o realizador da Reforma Protestante tentou reproduzir para a família o que vira com alguns galhos de árvores, algodão e velas (em matéria de segurança Lutero seria reprovado!). É possível também que a primeira árvore tenha surgido em 1510, em Riga, na Letonia. Antes que o Natal se transformasse em um grande negócio, havia dias certos para armar a árvore de Natal – nos Estados Unidos no dia de ações de graça; no Brasil, no quarto domingo antes do Natal (Advento) e em Portugal, dia 8 de dezembro.

A música é parte importante do ciclo natalino e entre as peças eruditas mais famosas destacam-se Concerto de Natal, de Arcangelo Corelli (1653-1713); Missa Sancti Nicolae, de Franz Joseph Haydn (1732-1809), A babe is Born, de William Mathias (1934); The King shall rejoice, de George Frederic Handel (1685-1759);  Noite Feliz, de Franz Xavier Gruber (1786-1863) e Adeste FidelisAdoremos ao Senhor, de John Wade (1786-1845). O cancioneiro popular inclui Jingle Bells, de Sir David Willcocks (1919-2015); Santa Claus is coming to town, de 1934, foi composta por J. Fred Coots e Haven Gillespie; White Christmas, de Irving Berlin entre muitas outras. No Brasil, os destaques são Natal das Crianças, de Blacaute (1955); Noite Azul, de Orestes Barbosa; Véspera de Natal, de Adoniran Barbosa; Borboleta de Natal (tradicional).

O primeiro cartão de Natal foi criado em 1843 na Inglaterra por John Callcott Horsley (1817-1903). Uma ideia simples, que logo conquistou o mundo, pois era possível mandar aos amigos as mensagens de Natal de forma elegante e prática.

Uma sugestão de leitura: o conto "Missa do Galo", de Machado de Assis, disponível no site abaixo.
link=http://www.biblio.com.br/conteudo/MachadodeAssis/missadogalo.htm 

Nenhum comentário:

Postar um comentário